O que as mães devem saber sobre "terrible two"






Relato de um bebê, ops, uma criança que até ontem, era um bebê!!! 

Já meço um 1 metro de altura, sou um moçinho, mas a mamãe ainda me chama de bebê, ela não entende que eu cresci, ela ainda me pega no colo e me faz dormir, não entendo bem, mas amo o colo dela e muitas vezes eu peço o seu colo.

Apronto muito e as vezes (muitas vezes) a mamãe fica brava comigo, principalmente quando grito, faço birra, não obedeço, choramingo e faço escândalo por qualquer motivo mas dizem por aí que existe a "terrível fase dos 2 anos", ela evita pronunciar a frase "terrible two", afinal, as palavras tem poder, se ela disser que estou nessa fase, mesmo que não estava, de tanto ela dizer, estarei!

Mamãe as vezes diz que tem vontade de sair correndo, mas ainda bem que ela não sai, pois, sabe que é só uma fase, passará logo e tudo ficará bem de novo.

Mamãe, procure sempre​ manter a calma, nós crianças estamos amadurecendo e nos conhecendo ainda, isso tudo faz parte do meu desenvolvimento e ter você por perto, me aconselhando e me mostrando que o mundo também vai me dizer muitos 'nãos' é importante.

Lembre sempre que sou amoroso, carinhoso, seu bebê amado, desejado, um presente de Deus para você e tudo vai ficar bem!

  • Relato de um bebê, tentando acalmar uma mãe que vive a maternidade real, sem firulas e sem filtro, mas que tem horas só ela sabe a força que faz para se manter calma diante devidas situações, principalmente aquelas que acontecem em público.
Nem sempre é fácil, mas sempre valerá a pena!! Cuide e dê muito amor ao seu baby, lá na frente sentirá saudades dessa idade.

Com base no relato do bebê, a mamãe fez algumas pesquisas e trouxe dicas que talvez ajude alguma mamãe que também esta passando por essa fase nada fácil.



O que é Terrible Two? (na literatura inglês / tradução: Terríveis dois anos)


Muitos dizem que é uma mini adolescência e eu concordo, pois, já passamos pela adolescência, onde, tivemos e fizemos muitas perguntas, achavamos ser o dono da verdade, jamais poderíamos ser contrariados, enfim, é exatamente isso que acontece na transição da fase bebê para criança (entre 1 ano e meio e 3 anos de idade), mas como não é uma regra, nem todas as crianças passam por essa fase com tanta mudança em suas atitudes.

Essa fase é natural, pois, é o desenvolvimento natural da criança, realmente um período de muitas mudanças para ela, onde, ele esta se descobrindo e descobrindo que não depende totalmente dos pais, já sabe andar, falar, sabe o que quer e o quer não quer, enfim, faz suas escolhas e decisões.

Um exemplo aqui em casa: Meu pequeno começou ir para escolinha com dois anos e meio e depois de alguns dias indo para escola, ainda no banho ele me dizia e ainda diz: Mãe eu vou chorar na escola! eu sempre digo, não precisa chorar, você é um menino lindo, obediente e bonzinho, mas ele insiste e repete que vai chorar, com isso ele demonstra que sabe o quer ficar em casa e tenta me convencer de alguma forma, mas eu permaneço firme e não amoleço 

Nessa idade ouvir "não" dos pais faz com que a criança comece um 'pit' onde estiver, atira o que tem na mão e algumas vezes bate em quem estiver por perto. (o bater é o que eu acho mais sério e o que mais me tira do sério).




A pergunta é: Como agir quando os gritos e os shows começam?

Por ser uma fase difícil para a criança, mas não menos fácil para os pais; uma experiencia intensa e repleta de conflitos, ao mesmo tempo que a criança busca sua identidade, ela não quer entristecer seus pais, por mais que isso não pareça. Meu filho sempre ao final de um 'pit', me beija e me pede desculpas. Isso me faz ter essa certeza.

Devemos primeiro descartar palmadas e por mais que seja difícil, manter a calma (afinal é uma fase e a criança precisa da sua compreensão), abaixar na altura da criança e conversar, explicando que o que aconteceu não foi legal e o porque aquilo não foi legal, é importante que a criança entenda que o que ela fez não foi bom, claro, nada disso em publico, isso pode constrange-la

Sempre que o meu pequeno começa, eu tento fugir o foco do motivo pelo qual tudo aquilo começou, falo sobre outros assuntos, se não tenho sucesso, apelo para a segunda opção que é ignorar a birra, muitas vezes da certo, outras não.

Quando a birra tem início com bater nas pessoas, devemos conter imediatamente essa atitude, conversando com a criança, sempre na altura dela e com voz firme dizer que sabe que esteja bravo, mas que não aceita tal atitude dele e se acontecer novamente, ele será punido, claro, uma punição que seja possível acontecer, e se voltar acontecer, que a punição seja realmente aplicada, pois, só assim ele saberá que se fizer novamente, terá consequências.

Nem tudo é mil maravilhas e funciona assim fácil né, mas devemos insistir e se não funcionar na primeira vez, tentar a segunda, terceira e nunca desistir.

É isso, essa esta sendo minha experiência e espero poder ajudar alguma mamãe que esteja passando por isso ou vai passar.

Se gostou, fique a vontade para curtir, comentar e compartilhar.

beijo grande,
Mi Lanza